Revelando São Paulo – Cultura de Paz – Ética Planetária – Novos Valores

“Cerca de 25% da população dos Estados Unidos já criou um estilo de vida baseado no cuidado e na consciência de que tudo no planeta está interligado. É o que apontam pesquisas realizadas recentemente. Diferentemente do que costumamos imaginar, não é pouca gente que está passando da cultura da cobiça e da escassez para outro tipo de cultura, baseada na suficiência e no cuidado, que são valores fundamentais para a sobrevivência do planeta”, afirma Ervin Laszlo, presidente do Clube de Budapeste, Ph.D. em ciências humanas pela Universidade de Sorbonne, na França, e autor do livro Macrotransição – O Desafio para o Terceiro Milênio (ed. Axis Mundi). Durante uma de suas palestras em São Paulo, o professor Laszlo citou os resultados da pesquisa americana e de outras duas que ainda não foram concluídas na Europa e no Japão. Elas mostram que, desde a década de 60 até o ano 2000, se delinearam três grupos de valores que norteiam atitudes e escolhas.

  • Modernistas são basicamente aqueles que querem ter dinheiro, carreira, status, casa grande. O que mais importa na vida é a eficiência e a velocidade. Trabalho e família são áreas de atuação totalmente separadas. Essa é a mentalidade dominante, pois é a mais difundida. Representa hoje cerca de 47% da população americana. Em 1960, era 45%.
  • Tradicionalistas são os que vivem em cidades menores, de formas bem tradicionais, com mais segurança e voltados para interesses comunitários. Em 1960, esse segmento representava 50% nos Estados Unidos. Hoje diz respeito a 30% da população, principalmente pessoas acima de 50 anos.
  • Criativos culturais expressam a nova cultura da suficiência e do cuidado. Em 1965, eram apenas 5% da população e hoje são 25%. Nos Estados Unidos, são 55 milhões de pessoas voltadas para valores mais humanitários. Segundo Ervin Laszlo, esse grupo é importante para a melhora da qualidade de vida individual e coletiva, pois está em sintonia com a preservação do planeta.

Tem um perfil delineado com base em algumas características:

  • Acreditam que todos os aspectos da realidade e da sociedade estão conectados;
  • Querem criar uma integração entre a humanidade e a natureza;
  • Reconhecem que, sem cultivar valores espirituais, só lutamos uns contra os outros e nos desrespeitamos;
  • Estão buscando uma organização própria, localizada e também global;
  • Estão cultivando menos a competição e mais a conciliação de interesses e as parcerias (entre ramos de negócios, entre culturas, entre homens e mulheres, entre homem e natureza).

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support