Artesanado de Palha de milho, da cidade de Redenção da Serra. Artesã Giselda. Fotografia de Reinaldo Meneguim

Cosme e Damião

ic_cosmeEntre meados de setembro e outubro ocorrem as Festas de Cosme e Damião, cuja data festiva no calendário litúrgico ocorre em 27 de setembro. De forma mais sincrética, envolve católicos, umbandistas, candomblecistas e cidadãos sem identidade confessional de todas as classes sociais. É a festa das crianças, sempre com distribuição de balas, brinquedos, doces e guloseimas em geral. Distribuição feita no interior dos terreiros, nas portas dos templos, de passagem pelas ruas, nas residências, em salões de festas dos prédios, em orfanatos e creches.

Em alguns lugares do Vale do Paraíba e da Região Bragantina, há um ritual com vários elementos comuns e finalidades similares: a Mesa dos Anjos.

Cosme e Damião eram dois irmãos gêmeos médicos e viveram na Ásia Menor. Ficaram conhecidos porque curavam pessoas e animais sem cobrar dinheiro. Morreram por volta do ano 300 d.C. degolados, vítimas de uma perseguição do imperador romano Deocleciano. No Candomblé e na Umbanda, o dia de Cosme e Damião é 27 de setembro.

A verdadeira história de São Cosme e São Damião – Portal Leia Mais

A verdadeira história de São Cosme e São Damião, mártires « Diocese São  José dos Campos

São Cosme e São Damião | Orixás e entidades da Umbanda e do Candomblé.

A verdadeira história de São Cosme e São Damião, mártires

Por que não distribuir doces de São Cosme e Damião?

No dia dedicado a esses santos, somos convidados a refletir sobre a vida desses irmãos e sobre o sincretismo religioso, que muitas vezes nos confunde

26 setembro 2020

comshalom

Você nunca se perguntou do porquê no dia de São Cosme e Damião recebia doces ou se nunca participou, já viu esse movimento em diferentes lugares?

Celebramos no dia 26 de setembro São Cosme e São Damião, os dois irmãos santos, que segundo a tradição cristã eram gêmeos, médicos e depois da conversão ao cristianismo passaram a ser missionários e a auxiliar na cura do corpo e da alma, principalmente dos mais necessitados.

Por volta do ano 300 d.C., na época da perseguição dos cristãos, eles foram acusados e presos por não adorarem aos deuses e serem acusados de feitiçaria. Diante das acusações, eles sempre respondiam: “Nós curamos as doenças em nome de Jesus Cristo e pelo Seu poder”. E com relação à adoração aos deuses, respondiam: “Teus deuses não têm poder nenhum, nós adoramos o Criador do céu e da terra!”.

Depois de serem acorrentados e mantidos encarcerados numa estrita prisão, foram atirados ao mar, depois ao fogo, em seguida pregados na cruz e trespassados por flecha e mesmo assim, permanecendo vivos, ao afinal foram decapitados.

Ainda não deu para entender muito bem? Vamos prosseguir.

Sincretismo Religioso

O sincretismo religioso é um fenômeno que consiste na absorção de influências de um sistema de crenças por outro. No Brasil, os dois santos passaram a ser cultuados por outras denominações religiosas, no período da escravatura, onde os escravos de origem africana, para poder cultuar os seus deuses Orixá, Oxalá, Ogum entre outros, passaram a associá-los com os nomes dos santos católicos como São Sebastião, São Jorge e Jesus.

Com o uso dos nomes dos santos, eles não eram proibidos pelos Senhores de Engenho e o mesmo aconteceu com São Cosme e Damião, que foram associados aos orixás Ibejis, fazendo um sincretismo religioso.

A distribuição de doces: prática não cristã

As religiões de origem Afro-brasileiras associaram os santos católicos às suas divindades orixás Ibeji, que seriam entidades (espíritos) de crianças gêmeas, por isso fazem oferendas e distribuição de comidas e doces aos frequentadores dos centros e às crianças no dia 27.

É importante destacar que essa distribuição não é uma prática da Igreja Católica Apostólica Romana, por isso o porquê dos católicos não distribuírem doces no dia de São Cosme e São Damião. Porém, eles jamais abandonaram a fé cristã e são considerados os padroeiros dos farmacêuticos, médicos e das faculdades de medicina.

Portanto, que neste dia possamos pedir a intercessão de São Cosme e São Damião, que em Cristo Jesus foram para nós exemplos de fé, amor e caridade.

São Cosme e São Damião, rogai por nós!

Adriano Andrade
Missionário da Comunidade de Aliança

São Cosme e Damião: os gêmeos milagrosos

A Igreja católica festeja em setembro o dia dos Santos Cosme e Damião. Irmãos gêmeos, Cosme e Damião eram médicos e viveram na Ásia Menor. Ficaram conhecidos porque curavam pessoas e animais sem cobrar dinheiro. Eles são considerados os padroeiros dos farmacêuticos, médicos e das faculdades de medicina.

Neste texto falaremos um pouco mais sobre a vida destes que são um dos principais santos católicos do Brasil. Conheça tudo sobre a vida deles, a perseguição que sofreram, sobre o simbolismo da imagem dos santos e sobre o costume de distribuírem doces para as crianças na data em que o dia dos santos é celebrado e muito mais.

História de São Cosme e Damião

Cosme e Damião foram irmãos gêmeos árabes que nasceram na Egeia, território que hoje corresponde à região de Ayas, na Turquia. Filhos de uma nobre família de cristãos, possuíam outros três irmãos. Os gêmeos nasceram por volta do ano 260 d.C e desde muito jovens manifestaram um grande talento para a medicina, profissão à qual se dedicaram após estudarem na Síria, na época, um grande centro de estudos e formação.

A fama pela competência

Lá, especializaram-se nas ciências e na medicina e logo tornaram-se famosos pela competência, obtendo grande sucesso nos tratamentos que realizavam. Não aceitavam nenhum pagamento por seus serviços e, por isso, eram conhecidos como anárgiros, que no grego antigo, significa avessos ao dinheiro.

Cura também pelos milagres

Os gêmeos curavam os efêmeros não só com seu saber, mas também através de milagres propiciados por suas orações. Eles queriam curar as pessoas no corpo e na alma, levando a elas também os ensinamentos e a salvação de Jesus Cristo. Dessa forma, eles trouxeram muitos novos adeptos à fé cristã e isso chamou a atenção do imperador romano Diocleciano.

Por volta do ano 300, o imperador romano autorizou a perseguição cristãos, que eram fiéis a Jesus Cristo

e não aos deuses romanos. E o local onde eles viviam era dominado pelos romanos. Por isso, eles foram presos sob a acusação de feitiçaria e de espalharem uma seita proibida pelo imperador. No tribunal, foi exigido deles que renunciassem à fé em Jesus Cristo e começassem a falar aos pacientes sobre os deuses romanos. Eles se recusaram, não renunciaram aos princípios do Evangelho e por isso foram duramente torturados.

Condenados a morte

Segunda a lenda, Cosme e Damião foram condenados à morte por apedrejamento e flechadas. A pena foi executada, porém os irmãos não morreram. Em seguida, foi ordenado que eles fossem queimados em praça pública, porém o jogo não os atingiu. Os soldados decidiram afoga-los, porém anjos os salvaram do afogamento. Por fim, os gêmeos foram decapitados.

Tradições e homenagens

A canonização de São Cosme e São Damião aconteceu no ano de 630, por ordem do Papa Félix IV. Em honra aos mártires, foi construída em Roma a Basílica dos Santos Cosme e Damião, onde estão os restos mortais dos irmãos gêmeos. Também há relíquias dos santos distribuídas em outros templos romanos, além de igrejas e mosteiros da Alemanha.

A Igreja grega também celebra a festa dos santos Cosme e Damião em 1 de Julho, 17 de Outubro e 1 de Novembro e venera três pares de santos com o mesmo nome e profissão. Cosme e Damião são considerados os patronos dos médicos e cirurgiões e por vezes são representados por emblemas médicos. Eles são invocados no Cânon da Missa e na Ladainha de Todos os Santos.

Dia de São Cosme e Damião

O dia de São Cosme e São Damião é celebrado pelos católicos e religiões afro-brasileiras em datas diferentes. Os seguidores do candomblé e da umbanda festejam os santos gêmeos em 27 de setembro. Já a Igreja Católica comemora São Cosme e São Damião em 26 de setembro, porque 27 é dedicado a São Vicente de Paulo, que morreu neste dia. No caso dos gêmeos, não se sabe com exatidão o dia de suas mortes.

No sincretismo religioso, que é fusão de diferentes doutrinações, para as religiões afro-brasileiras São Cosme e São Damião são os orixás Ibejis, espíritos que se manifestam em forma de crianças, por isso a tradição em distribuir doces em intenção aos santos e aos erês, como são chamados os espíritos infantis. Quando os escravos foram trazidos para o Brasil, impedidos de exercer sua própria religião, criaram uma forma de ludibriar os senhores de engenho associando figuras de sua religião com figuras do cristianismo.

Simbolismo de São Cosme e Damião

Guardar Imagem de São Cosme e DamiãoRumo da FéImagens de Santos

A imagem nos esclarece muito sobre a vida dos gêmeos. A túnica verde simboliza a vida e a esperança. Eles venceram a morte ao se tornarem mártires e deixarem um legado e ao contribuir para a prolongação da vida dos efêmeros que ajudaram.

Manto Vermelho

O manto vermelho simboliza o próprio martírio. Eles foram acusados de cristianismo e mortos por causa de sua fé. Eles foram degolados por causa de sua fé e nunca negaram ajudar o próximo com seus conhecimentos científicos e espirituosos, levando o conhecimento de Deus a outros.

Colarinho branco

O colarinho branco representa a pureza de ambos, depositando em cada paciente todo amor e dedicação possível, sendo essa atenção a principal fonte de energia para a cura dos pacientes. O medalhão com a face de Cristo, caracterizando a inspiração no médico dos médicos.

Caixinha de presentes

A caixinha de presente tem dois significados. Os remédios e a medicina como forma de presente para curar os efêmeros como também a fé em Deus e em Jesus Cristo como presente. Presente físico e espiritual.

Palma

Por fim, a palma representa a vitória. Preferiram morrer a renegar o que tinham de mais precioso: a fé em Cristo. Por isso receberam a vitória final destinada aos Santos.

Oração de São Cosme e Damião

São Cosme e São Damião, por amor a Deus e ao próximo, consagrastes a vida no cuidado do corpo e da alma dos doentes. Abençoai os médicos e farmacêuticos. Alcançai a saúde para o nosso corpo. Fortalecei a nossa vida. Curai o nosso pensamento de toda a maldade. A vossa inocência e simplicidade ajudem a todas as crianças a terem muita bondade umas com as outras. Fazei que elas conservem sempre a consciência tranquila. Com a vossa proteção, conservai o meu coração sempre simples e sincero. Fazei que eu lembre com frequência estas palavras de Jesus: ‘deixai vir a mim as criancinhas, pois delas é o reino do céu’. São Cosme e São Damião, rogai por nós. Por todas as crianças, médicos e farmacêuticos.
Amém.

Dia de Cosme e Damião: Conheça a história dos santos anárgiros

Curas de São Cosme e São Damião Cosme e São Damião

São Cosme e São Damião, os santos gêmeos, morreram por volta de 300 d.C. Crê-se que foram médicos, e sua santidade é atribuída pelo motivo de haverem exercido a medicina sem cobrar por isso, devotados à fé. Sua festa é celebrada atualmente no dia 26 de setembro pela Igreja Católica, no dia 27 de setembro pelas religiões afro-brasileiras e no dia 1º de novembro pela Igreja Ortodoxa.

Os gêmeos praticavam a medicina em Egeia e alcançaram, por isso, grande reputação. Não aceitavam nenhum pagamento por seus serviços e foram por isso chamados de anargiras (em grego antigo: Ανάργυροι anargyroi). Dessa forma, eles trouxeram muitos novos adeptos para a fé católica.

São Cosme e São Damião

Quando a perseguição de Diocleciano começou, o prefeito Lísias mandou prender Cosme e Damião e ordenou-lhes que se retratassem. Eles se mantiveram constantes sob tortura e de forma milagrosa não sofriam nenhum ferimento por água, fogo, ar, nem mesmo na cruz, até que foram decapitados por uma espada. Seus três irmãos, Antimo, Leôncio e Euprepio também morreram como mártires com eles. A execução ocorreu em 27 setembro, provavelmente entre 2875 /303.

de Cosme e Damião faz a alegria das crianças.

Tradição de distribuir doces

Doces-cosme-damiao

Numa antiga lenda africana, dois príncipes gêmeos traziam sorte para o reino, resolvendo todo tipo de problema, pedindo em troca apenas doces, balas e brinquedos. Bastante bagunceiros, um deles se acidentou ao brincar numa cachoeira. O irmão que sobrou ficou tão triste que pediu para se encontrar com o outro no céu. Assim, Orunmilá atendeu o desejo do pequeno príncipe, deixando na terra duas imagens feita de barro, representando os meninos.
Seu dia é comemorado em 27 de setembro, quando tradicionalmente é feita uma farta distribuição de doces para crianças, por pessoas que cultuam religiões afro-brasileiras.

Cosme Damião ou IbejisO dia de São Cosme e São Damião, para os católicos,  também é celebrado no Candomblé. Nesse caso, no entanto, comemora-se a tradição em 27 de setembro e, tendo como referência, dois orixás. “Não são as mesmas figuras, mas em ambas são irmãos com histórias de vida muito parecidas”, explica Pai Nino D Osumarê, da Federação de Umbanda e Candomblé de Brasília e do Entorno.

Candomblé

Nesse caso, a tradição tem como referência os Ibejis, divindades africanas. Para o Candomblé eram  irmãos gêmeos que, em troca de brinquedos e doces, resolviam os problemas levados a eles.  “Resolviam problemas, garantiam colheitas mas, casos as promessas não fossem cumpridas, faziam travessuras e podiam até mesmo reverter o que havia sido pedido”, conta Pai Nino.

Segundo a lenda, um dos irmãos morreu afogado e o outro, extremamente triste, pediu ao “Deus supremo”, que o levasse. “Conta a tradição que foi deixada na terra uma imagem em que a figura dos dois apareciam juntas e jamais poderiam ser separadas. A partir de então, as promessas passaram a ser feitas para a imagem, também em troca de doces e brinquedos”, conta.

“Os Ibejis são celebrados com cultos próprios durante todo o ano, já que estão ligados a ideia de “criação”, são cultuados em todos os rituais”, explica Pai Nino. “Devido a convivência com a cultura cristã, também fazemos festa em setembro em que são distribuídos brinquedos, doces e Caruru (comida típica que pode ser acrescida de amendoim ou castanha) para as crianças”, explica.

Já na Umbanda, celebra-se Cosme e Damião e não os Ibejis, na mesma data. “Quando os escravos foram trazidos da África para o Brasil acabaram criando a Umbanda e, para poderem realizar seus cultos, associaram seus deuses aos do catolicismo. Mas o princípio é o mesmo”, conclui Pai Nino.

Ocorrência: Todas as regiões do estado.



Em breve disponibilizaremos o conteúdo.


Em breve disponibilizaremos o conteúdo.


Em breve disponibilizaremos o conteúdo.


Em breve disponibilizaremos o conteúdo.

Copyright Toninho Macedo. Todos direitos reservados.
UA-61231390-1