Cultura de Paz

A Cultura de Paz baseia-se na soma dos esforços contínuos de todos no sentido de se superar nossos indicadores de violência e de pobreza: Violência contribui para a pobreza e a pobreza contribui para a violência. E precisamos interromper este ciclo perverso da pobreza, miséria e violência, nos comprometendo com a paz no dia a dia.

Juntos, podemos transformar a cultura de violência em uma cultura de paz e de não violência, transmitindo aos jovens e às gerações futuras valores que os inspirarão a construir um mundo de dignidade e de harmonia, um mundo de justiça, solidariedade, liberdade e prosperidade.

A cultura de paz torna possível o desenvolvimento sustentável, a proteção do meio ambiente e o crescimento pessoal de cada ser humano.

Para tanto é necessário o comprometimento de cada um em colocar em prática, no cotidiano, os valores, atitudes e condutas que inspirem uma nova forma de convivência e respeito entre os povos, a começar pela família, pelos vizinhos, pela rua, pelo bairro, com a adoção do diálogo como forma de solução para os problemas e conflitos, da reconciliação e o comprometimento com a justiça e a solidariedade.


Objetivos

A Rede da Bandeira da Paz constitui-se em uma grande rede que se formou a partir do plantio da 1º Bandeira da Paz em 25 de Janeiro de 2000, no Parque da Água Branca, passando a ser seu nó referencial. A partir de então ramificou-se por diferentes municípios do Estado de São Paulo formando os Núcleos de Sustentação das Bandeiras da Paz, entorno de cada bandeira plantada, originado micro-redes.

Os objetivos permeiam em:

– Contribuir para construção e consolidação de uma Educação e Cultura de Paz por meio da reflexão, investigação, educação, vivência e ação;

– Favorecer o desenvolvimento da autonomia, valorizar o diálogo e a cooperação, o que significa prevenir conflitos, promover a saúde do tecido social e a convivência positiva, pressupondo o mundo como multicultural e multifacetado;

– Promover o acesso a conhecimentos úteis e a valores éticos e o reconhecimento dos direitos políticos, sociais, econômicos, culturais e ambientais, construídos com cidadania e participação;

– Ampliar os conhecimentos produzidos e apropriados para além dos contornos institucionais já estabelecidos, ou seja, englobando e conscientizando a sociedade ao entorno num enfoque crescente.


Compromissos

– Os núcleos de sustentação são os guardiões da Bandeira da Paz, tendo como compromisso o zelo permanente de cultivar a Cultura de Paz a partir do plantio da bandeira. O conceito de plantio tal qual como os organismos vivos, deve ser cuidado, acompanhado, tratado. O cultivo da Cultura de Paz ocorre pela informação que é o conhecimento a partir do contato, reflexão e compreensão da informação, e assim tomar consciência de nós mesmos, do outro e da teia que faz o mundo.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support