A importância do diálogo, da participação coletiva

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

“Se para nos libertarmos basta que nos ajudemos a tomar consciência de um fim que nos liga uns aos outros,
procuremos um fim que nos ligue a todos”.

Terra dos homens- Antoine de Saint Exupéry

A participação coletiva

Tudo isso faz parte do pensamento coletivo- pessoas pensando juntas.
Em algum momento, acabaremos por compartilhar as nossas opiniões sem hostilidade, e então seremos capazes de ‘pensar juntos’.

Por outro lado, se apenas defendermos opiniões, não seremos capazes disto, de ‘pensar juntos’.

Um exemplo de indivíduos a pensar juntos seria o de alguém que tivesse uma idéia, outra pessoa a adotasse, mais outra lhe acrescentasse algo. O pensamento fluiria e sairíamos da situação habitual, em que as pessoas tentam persuadir ou convencer umas às outras.

Acredito que se elas percebessem a importância do diálogo, trabalhariam com ele. E quando começassem a se conhecer mutuamente, principiariam a compartilhar a confiança.
Isso pode levar tempo.

No início você apenas entra no grupo no grupo e leva consigo todos os problemas da cultura e da sociedade.

Assim, qualquer grupo é um microcosmo do social: há todos os tipos de opinião, os indivíduos não confiam uns nos outros, as pessoas conversam de modo trivial e, a seguir menos trivialmente.

No começo elas falam sobre questões superficiais porque têm medo de ir além disso. Depois, gradualmente, ocorre a confiança mútua.

In- David Bohm- Diálogo (Comunicação e redes de convivência) –
Ed. Palas Athena
Toninho Macedo

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support