Artesanado de Palha de milho, da cidade de Redenção da Serra. Artesã Giselda. Fotografia de Reinaldo Meneguim

Category Archives: Grande São Paulo

Cabeções

Santana de Parnaíba é hoje o último reduto de Cabeções ou Cabeçorras. Pela desproporcionalidade que provocam com os corpos, dos que as envergam, se assemelham a anões, sendo este o seu traço fundamental. Confeccionadas com a técnica do empapelamento com diversidade de personagens, animam o carnaval da cidade e outros desfiles populares, sempre associadas aos bonecos gigantes, provocando estranhamento pelo contraste.

Read More »

Romaria

Um traço que se destaca na cultura tradicional em São Paulo são as romarias: a pé, de bicicleta, a cavalo, de charrete, de motos, de carro, em ônibus fretados ou de carreira. Ocorrem durante todo o ano, apresentando, ciclicamente, grandes picos que chegam a demandar ações especiais dos Departamentos de Transito. Quando a pé os romeiros se auto intitulam caminheiros, e seguem sós, em duplas, ou em grupos. Dentre os que seguem sós alguns podem arrastar cruzes por uma distancia algumas vezes superior a 100…

Read More »

Procissão nas Águas

Afora os encontros dos Irmãos do Divino nas águas do Médio Tietê (região em que o rio volta de novo à vida), observamos outras devoções a se expressarem nas águas, estruturadas em grandes cortejos fluviais, lacustres e marítimos de embarcações variadas (barcos, bateras, ubás, botes, chatas, lanchas, balsas, bóias). Busca se com eles homenagear Bom Jesus, Nossa Senhora (dos Navegantes, do Livramento, do Rocio, do Patrocínio, Aparecida) e São Pedro. Ocorrência Região de Bauru: Botucatu (N. Sra. dos Navegantes).

Read More »

Caiapó

Bugrada, Caiapós ou Caiapô são denominações com que aparecem entre nós, folguedos com temática indianista, calcada, sobretudo, na visão de um “índio idealizado”. Atuam durante o ano todo nos diversos ciclos culturais, em especial no carnaval, e em festas dos santos padroeiros e de devoção popular, seguindo em cortejo pelas ruas das cidades, com paradas para dramatizações esquemáticas. Ocorrência: Ilhabela, Joanópolis, Mairiporã, Piracaia, São Jose do Rio Pardo, São Sebastião.

Read More »

Dança de Santa Cruz

A devoção a Santa Cruz (Cruzeiro) tão estimulada, ao que parece, pelos jesuítas, fixou-se de forma significativa na Grande São Paulo, Vale do Paraíba e Comunidades da Mantiqueira. São muito numerosas as capelinhas de beira de estrada e sítios que Lhe são votadas e em que ocorrem as rezas e significativas festas. A devoção se expressa com a Dança de Santa Cruz – na realidade, uma sequência de danças com que se saúdam o Cruzeiro Principal e as Cruzes enfeitadas de flores colocadas à frente…

Read More »

Tooro Nagashi e Bom Odori

Tooro Nagash, Bom Odori, Moti-Tsuki, Sendai Tanabata são alguns dos muitos festivais e rituais, de cunho religioso ou profanos, que pontuam várias regiões do Estado, congregando várias gerações de nipo-descendentes e envolvendo as comunidades circunstantes. Em muitos casos já apresentam tendências ao sincretismo. Ocorrência: Bauru, Cafelândia, Lins, Promissão.

Read More »

Festa do Divino

A devoção ao Divino Espírito Santo constitui-se em um dos fortes núcleos das devoções populares em São Paulo. Herança do colonizador português se exterioriza de diversas formas, resultando sempre em grandes festas, sendo estas das mais cheias de pompa e espetacularidade desde os tempos do Brasil Colônia. Da celebração festiva já faziam parte os imperadores, mordomos, bandeireiros, império e levantamento do Mastro do Divino. Acreditamos, que as Festas do Divino sejam das mais difusas por todo o Estado, concentradas no tempo Pentecostal prescrito pela Igreja…

Read More »

Folia do Divino

São pequenos grupos de até 5 pessoas, os Foliões do Divino, que, com suas jornadas, durante meses participam da preparação das Festas do Divino. Eles visitam as casas das zonas rural e urbana, cantando os feitos e os poderes do Divino Espirito Santo, recolhendo donativos, sempre abundantes, para sua celebração. Percorrendo assim as comunidades de canto a canto e anunciando a festa, avivam a fé no Divino. Ocorrência: Anhembi, Caconde, Cananeia, Cunha, Iguape, Itanhaém, Itu, Itapeva, Lagoinha, Laranjal Paulista, Mogi das Cruzes, Natividade da Serra,…

Read More »

Bonecão

Bonecos de rua (gigantes) e bichinhos de saias, enquanto expressões populares e tradicionais, fazem parte da vida cultural de mais de 25 municípios paulistas. Aparecem durante todo o ano integrando os calendários cívicos, do carnaval e mesmo de festas religiosas em quase todas as regiões do Estado. Perderam-se no tempo os referenciais de sua chegada a São Paulo. Mas conservaram-se os traços básicos que os filiam a suas matrizes ibéricas, sobretudo na relação com os bonecos processionais espanhóis. Variam as denominações dos conjuntos – Juritica…

Read More »

UA-61231390-1